25/07/2015

Dia da Pátria Galega - 25 de Xullo, sempre!

"Chegan a decir que o problema galego, igual que o vasco e catalán, depende da solución que acorde a maioria dos hespañoes...
Estábamos aviados!
( Alfonso Daniel Rodriguez Castelao)

12/07/2015

Javier Krahe (Madrid, 30 de marzo de 1944 - Zahara de los Atunes, 12 de julio de 2015



Y Todo Es Vanidad de Javier Krahe

Gracias a mi conducta vagamente antisocial 
temo no verme nunca encaramado a un pedestal: 
no alegrará mi efigie el censo de monumentos, 
no vendrán las palomas a rociarme de excrementos. 

Y es una pena, la verdad, 
porque sería muy bonito 
seguir de adorno en mi ciudad 
sobre un bloque de granito. 

Pues qué penita y qué dolor, 
no tendré estatua, no señor. 

Gracias a mi postura más bien anticlerical 
no será un siglo de éstos cuando entre al santoral: 
no acudirán beatas a pedirme un milagrillo, 
no vendrán los ladrones a vaciarme mi cepillo. 

Y es una pena, la verdad, 
porque tenía cierta gana 
de echarle un ojo a la deidad 
mientras me doran la peana. 

Pues qué penita y qué dolor 
no tendré culto no señor. 

Gracias a que mi musa se las da de cerebral 
son pobres mis compases para expresión corporal: 
no danzarán mis prosas las reinas de discoteca, 
no vendrán los carrozas a hacer su gimnasia sueca. 

Y es una pena, la verdad, 
porque sería algo inefable 
cambiar la torpe realidad 
y ser o Borges o bailable. 

Pues qué penita y qué dolor 
no tendré el Nobel, no señor. 

Gracias a mi tozuda decisión existencial 
no cabe entre mis planes dar ningún salto mortal: 
no gozará las honras funerales mi alma en pena, 
no vendrán los gusanos a tirar de la cadena. 

Y es una pena, la verdad, 
porque sería algo divino 
ver cómo todo es vanidad, 
y yo en decúbito supino. 

Pues qué penita y qué dolor 
no tendré esquela, no señor. 

07/07/2015

"Esta é a ditosa língua, minha amada"

"Eu dedico este prémio a uma entidade que é para mim pessoalíssima, à Grécia, cuja voz ainda paira sobre as nossas mais preciosas palavras, entre as quais, quase intacta, a poesia. Dedico à Grécia, sem a qual não teríamos aprendido a beleza, sem a qual não teríamos nada ou, no dizer da Doutora Maria Helena da Rocha Pereira, "não seríamos nada".    
ζουν Ελλ?δα , zoun Elláda, viva a Grécia."
Hélia Correia, Prémio Camões 2015
Texto completo aqui.


06/07/2015

Varoufakis,Varoufakis sempre!

Resultado de imagem para yanis varoufakis oxi
Varoufakis deixou de ser ministro porque provocava  pesadelos aos inúteis funcionários da troika durante o sono.
Varoufakis punha nervosos os eurocratas, provocando-lhes distúrbios fisiológicos de variada natureza, principalmente intestinais e psíquicos.
Varoufakis era um Ministro das Finanças, e os contabilistas não gostavam disso.
Varoufakis nasceu para provar que o génio da banalidade de Boliqueime, pode saber muito de operações aritméticas mas, tal como "Jesus Cristo, não percebe nada de finanças nem consta que tenha biblioteca."
Varoufakis em cinco meses ganhou a admiração e o respeito do seu povo, porque é um homem livre e digno que com naturalidade será reconhecido pela história, ao contrário dos dezoito ministros da contabilidade com quem tinha que negociar, meros servos do nazismo financeiro, que os amos utilizam a seu bel-prazer, toleram e, chegado o momento deitam fora, merecedores apenas do desprezo e do esquecimento.
Varoufakis é Grego, e a Grécia é o Berço da Democracia e da Europa. Os outros dezoito são germânicos ou proto-germânicos de várias origens, e a história ensina-nos que dessa terra de bárbaros não se pode esperar nada de bom.

05/07/2015

O IV reich e a troika sofrem a primeira grande derrota

A frase da imagem é de Joseph Stiglitz, Nobel de Economia. Mas esse problema terá que ser resolvido, ou antes, começou a solucionar-se hoje com a democracia grega a derrotar a ditadura da austeridade por números significativos, ao contrário do que "prognosticavam" os órgãos de intoxicação social do regime do pensamento único. Por cá, o génio da banalidade e presidente da República do Cavaquistão descobriu mais uma vez a pólvora, mas a pólvora seca, ao elucidar os cavaquistaneses que operações de subtracção são com ele, destacado contabilista/economista, ao conseguir demonstrar o fantástico resultado de que 19 menos um (19-1) é igual a dezoito (18). Mas como o pensamento abstracto nas ciências da vida, só fazem sentido quando corroborados pelo conteúdo e qualidade do objecto em questão, esqueceu-se (ou não chega lá), de que 1 tomate saudável e bem posto no sítio certo (ou um par), vale mais do que 18 tomates podres e murchos. Enfim , coisas da vida real. Obrigado Grécia...

A Europa não existe sem a Grécia, mas deve prescindir dos austericídas nórdicos e dos seus lacaios do sul

Alexandre, o Grande: Diz-me, velho filósofo. O que posso eu, fazer por ti?
Diógenes: Desviar-te, porque estás a tapar-me o sol, e não podes tirar-me o que não me podes dar.