21/05/2013

Mão de obra - Eduardo Galeano

Mohammed Ashraf não vai à escola. Desde que nasce o sol até que nasce a lua, ele corta, recorta, perfura, monta e cose bolas de futebol, que saem rebolando da aldeia paquistanesa de Umar Kot rumo aos estádios do mundo.
Mohammed tem onze anos e faz isto desde que tinha cinco. Se soubesse ler, e ler em inglês, poderia entender a inscrição que ele cola em cada uma das suas obras: Esta bola não foi fabricada por crianças.
Tradução - Fernando Fernandes