23/05/2013

Democracias (?) de sucesso - Amnistia Internacional diz que há tortura em 112 países

Consumo próprio
Um cidadão portador de passaporte moçambicano foi ontem detido pelos serviços de fronteira do aeroporto da Portela quando tentava entrar legalmente no nosso país.
As forças de segurança tinham razões para acreditar que o indivíduo em questão estaria envolvido numa rede de tráfico de órgãos.
Após rápida revista, as autoridades confirmaram as suas suspeitas: escondidos dentro do corpo, o cidadão moçambicano trazia dois rins, um figado e um esófago.
Segundo os funcionários da alfândega, o indivíduo contaria vender esses órgãos a uma clínica privada em Espanha ou na Suíça.
De nada serviram os protestos do detido, de que os órgãos que traficava se destinavam apenas para consumo próprio.
(De Rui Zink in "Do Conserto do Mundo" - contos)

Um relatório da Amnistia Internacional, ao analisar violações de direitos humanos em 159 países e territórios em 2012, estima a prática de tortura em 112, equivalente a 70% do total.

Amnistia Internacional aponta "uso excessivo da força" por parte da polícia portuguesa