27/04/2013

PS - alternância não é alternativa...

António José Seguro discursa no congresso
Estão em congresso, e na oposição. Não é novo que este partido seja "mais ou menos".., quer dizer: de esquerda quando está fora do poder, que logo muda quando chega ao governo. Andam animados, confiantes na memória curta de que faz "jus" a classe média portuguesa quando se trata de decidir o voto. Tem-lhes saído bem, mas um dia pode mudar, como está a mudar na Grécia e na Espanha, onde cada vez mais a dita classe vai tomando consciência de que há que fazer algo para mudar a realidade, começando por não premiar os partidos responsáveis pelas situações catastróficas a que levaram os países. E o PS em Portugal, como o PSOE em Espanha ou o PASOK na Grécia são tão responsáveis pela crise como a direita com que vão alternando. Esquecer isto é não só grave, como o melhor caminho para não se sair da cepa torta. As promessas são para "inglês ver", não para cumprir, ou já esqueceram o que prometeu Sócrates e Passos Coelho? Seguro é só mais um nome, mas a escola e os interesses que representa são os mesmos. A Esquerda não deve ter ilusões, como já vão dando a entender nesta reunião magna...