31/10/2012

Durão Barroso, o especialista em fugas...


É antiga a tendência deste figurão para as fugas. Primeiro, foi a fuga ideológica - de radical  maoista  pró-socialista chinês  virou conservador e pró-salazarento PSD capitalista, mostrando claramente a qualidade das suas convicções. Depois, eleito primeiro ministro por esse club que se diz social democrata - mas  nascido nas cadeiras do estado novo -, não precisou de muito tempo para fugir para outra cadeira mais cómoda  e bem paga na União Europeia, deixando "Portugal de tanga", ( a expressão é dele num exercício de  crítica aos "outros", exercício de fuga à competência que não tem. Por lá tem andado, palrando de culinárias várias sobre questões em que não tem voto na matéria, enchendo a boca de "estados de bem estar mas...", com "austeridades sociais que...", "défices e...", "dívidas públicas se...", "porque os bancos, pois...", palra, palra, palra e a vidinha segue. Ultimamente até partilha espaços de profunda reflexão e pensamento futebolístico, matéria de suprema relevância para a solução dos problemas dos povos europeus. Ideológicamente continuou a evoluir (ou fugir?) - de conservador e quase social democrata, faz mais uma fuga para diante tornando-se troikista radical  defensor do neo-ultra-liberalismo. É nesta condição que volta a fugir, mas desta vez do Povo. Até um dia... Talvez.  

Hoje, todos à Assembleia, às 15 horas


25/10/2012

"saio exatamente como entrei, com a minha profissão, sem qualquer subsídio e sem qualquer reforma".


Ética Republicana
Princípios
Valores
É por tudo isto, é com homens destes, é inclusivamente com as diferenças ou os desencontros que vão surgindo no "que fazer" quotidiano da política e da cidadania, que vale a pena ser de Esquerda. Até já companheiro, encontramo-nos na rua...

21/10/2012

PSOE/PP - derrota histórica em Euskadi

p002_f04.jpg
La ilegalización de la izquierda abertzale pactada por PSOE y PP en marzo de 2002 tenía por objetivo acabar con el independentismo y generar de esa forma las condiciones para posibilitar una mayoría unionista.


ELECCIONES DEL 21 DE OCTUBRE

El ciclo de las ilegalizaciones se cierra hoy en las urnas



Os "amigos" têm sempre alternativas...

... para enriquecerem à nossa custa. Nem que seja fazendo uns estudos sobre a "inutilidade" dos mesmos, uns pareceres sobre o jogo "parece mas não é", umas acessorias numas negociatas de "transparência opaca", enfim, qualquer coisa para demonstrar que, de facto, a crise é uma porta aberta para grandes oportunidades na área do empreendedorismo de luvas brancas, laranja, rosa ou amarelas - com azul, claro...
 
Cândida Almeida garante que não há corrupção em Portugal...

Governo gasta 86 milhões em estudos 

http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=2838538&especial=Revistas%20de%20Imprensa&seccao=TV%20e%20MEDIA

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/governo-gasta-86-milhoes-em-estudos-e-pareceres



19/10/2012

“Último Poema”

A dor acompanhar-me-á,
a dor de não ter escrito
o teu nome e de não ter sabido
as perguntas e as respostas; nos teus braços quem me receberá?
E fará tanto frio
que a eternidade
se consumará sem mim no quarto agora vazio
de exterioridade e de contemporaneidade.
Só terei as minhas palavras,
mas também elas são mortais
mesmo as mais banais e mais
próprias para falar das coisas acabadas.
Terei talvez morrido; nunca o saberei.
Nem não o saberei tão perto estarei,
o rosto reclinado no seu peito,
a minha vida um sonho teu, desfeito.

Manuel António Pina
Sabugal, 18 de Novembro de 1943  
Porto, 19 de Outubro de "2012

16/10/2012

Se "eles" quisessem...

Paul Krugman

Vale a pena relembrar esta peça de Ana Sá Lopes, publicada no "i" em 24 de Setembro de 2012, neste momento em que o governo troikista de Passos/Portas/Gaspar/relvas se prepara para levar à prática o próximo assalto aos portugueses, através do mecanismo de terrorismo orçamental.

Paul Krugman. Era possível acabar com esta crise já. Se “eles” quisessem

Os instrumentos económicos existem mas a opinião política dominante proíbe o fim da crise. Paul Krugman, Prémio Nobel da Economia, apela ao fim dessa corrente austeritária, sacrificial e assassina de empregos. 

Adriano Correia de Oliveira, 1942 - 1982


" Há homens que lutam um dia e são bons, há outros que lutam um ano e são melhores, há os que lutam muitos anos e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida, e estes, são os imprescindíveis"
Bertolt Brecht
http://www.avintes.net/adriano.htm

14/10/2012

OE2013 - isto não é um Orçamento, isto é um assalto...

Amanhã - Cerco a S. Bento, este não é o nosso orçamento.


































O Parlamento é do Povo, não da canalha que o maltrata. Amanhã, todos à rua para resgatar a Democracia, das garras dos vampiros troikistas. Os do BPN que paguem a crise. Os dos submarinos que paguem a crise. Os das PPPs que paguem a crise. Os corruptos que paguem a crise. Os bancos que paguem a crise. Os partidos do arco da governação que paguem a crise. Em suma: que paguem a crise todos os ladrões que a contraíram. Contra a violência do poder, respondamos com a firmeza da luta. Não temos medo, que o sintam eles...  

13/10/2012

Cardeais e política



Cada tempo tem os seus cardeais, e neste que nos toca viver, aos católicos saiu-lhes o Policarpo. Este Cardeal Policarpo - D. José -, é o Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa e, por trás duma linguagem que advoga que a igreja não se deve meter em política, lá vai fazendo a dele. Na recente entrevista à Ecclésia, afirmou que não se resolve nada a contestar e "que as manifestações e o povo a governar, a partir da rua, resultam na corrosão da harmonia democrática em Portugal." Claro que o D. José não desconhece a Constituição e, em vez de defender este poder cleptocrático profundamente anti-democrático, injusto e desumano, melhor seria reler alguns dos seus Princípios, e verificaria que, hoje, é na rua que melhor se defende a Lei Fundamental da República, contra aqueles que, desde o governo e outras instituições a destroem, por não cumpri-la. 
ARTIGO 13.º
(Princípio de igualdade)
1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

Como pode verificar-se a partir da própria realidade social quotidiana, quer a dignidade social dos cidadãos quer todas as considerações mencionadas no n.º 2 do ARTIGO 13.º sobre o Princípio de Igualdade estão completamente abaladas pela prática política daqueles que enchem a boca de "democracia representativa", mas que se esquecem que representar não é só chegar ao poder, é respeitar o contrato eleitoral com aqueles que elegem, em função do contrato que lhes é proposto - programa eleitoral. Quantos governos cumpriram o que prometeram? Um governo que não cumpre é ilegítimo, e só representa a fraude que o mantem.

ARTIGO 45.º
(Direito de reunião e de manifestação)
1. Os cidadãos têm o direito de se reunir, pacificamente e sem armas, mesmo em lugares abertos ao público, sem necessidade de qualquer autorização.
2. A todos os cidadãos é reconhecido o direito de manifestação.

O Cardeal anda "despistado". Já reparou nos euros que não entrariam nos cofres da igreja, se acabassem as manifestações religiosas como as procissões, as peregrinações às azinheiras, as festas paroquiais das colheitas, as romarias às padroeiras de madeira, barro ou graníticas santidades?
Quanto aos sacrifícios, é fácil falar desde a pele de um príncipe na terra, porque os sacrifícios são sempre bons para os outros, muitos deles ainda na pele de cordeiros de deus. A igreja,  esse paraíso de papas, cardeais e de bispos, essa casta que não passa fome, que não sofre a austeridade, que se alimenta de cristos desde os primórdios do catolicismo, pode dar-se ao luxo de dizer que não paga os seus impostos -  IGREJA RECUSA PAGAR IMI - ao abrigo da Concordata, um tratado internacional tão pouco democrático como as posições defendidas pelo cardeal. A igreja não muda, adapta-se. Salazar teve sempre o apoio da hierarquia religiosa, principalmente do seu anjo da guarda, o cardeal Cerejeira. Passos, Sócrates, Santana, Durão, Guterres e Cavaco, os coveiros da soberania nacional entre outros, contarão concerteza com as preces de D. José Policarpo, poderão até ser bem vistos por quem controla o reino do céu, mas não deixarão de ser o que são na República da Terra, como se pode ler nos cartazes das manifestações que surgem todos os dias. E podem ter a certeza, de que não esquecemos o próximo ARTIGO:
ARTIGO 21.º
(Direito de resistência)
Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.

   





   
     
  

07/10/2012

Demagogia feita à maneira, é como queijo numa ratoeira...


Se não existissem indivíduos como o António José Seguro - demagogos e populistas -, o país não se encontraria no estado em que está. Portanto, o problema não é o número de deputados, o problema é a corrupção que existe, embora a cegueira de Cândida Almeida não lhe permita vislumbrá-la; o problema  é a incompetência dos que nos têm (des)governado, formados nas "universidades" das "jotinhas"; o problema é   a máfia instalada à volta deste centrão de poder - PS e PSD, com a colaboração dada umas vezes a uns, outras vezes a outros pelo CDS - ; o problema é, o facto de o "melhor povo do mundo" ainda não ter encontrado a maneira de se livrar dos piores governos do mundo... Mas, cada coisa a seu tempo - na Grécia, o PASOK, quer dizer: o PS lá do sítio, foi durante décadas o maior partido de poder. Como acontece por cá, foi também um dos grandes responsáveis pelo actual estado comatoso em que se encontra o país, troikista como o partido de Seguro, corrupto, etc. O PS grego ou o PASOK português ou vice-versa, são iguais: nos interesses, na ideologia, no oportunismo, no populismo e na demagogia. Na Grécia passaram de 1.ª força política eleitoral para 3.ª, e os últimos estudos colocam-no como 5.ª força política numas próximas eleições, quase à beira do desaparecimento. Quando por cá acontecer o mesmo, é bom sinal para o país, pois significará que está a livrar-se de um dos seus cancros mais letais.

06/10/2012

"O PIOR GOVERNO DE SEMPRE"

"O cinismo e populismo de Vítor Gaspar, ao dizer que "os portugueses são o melhor povo do mundo e o melhor ativo do país", a violência e o lastro de mentira em que assentam as propostas políticas de Passos Coelho, merecem que os portugueses e portuguesas digam bem alto: este é o pior Governo de sempre, em democracia. É preciso arredá-lo do poder."
De Carvalho da Silva - texto completo aqui.

05/10/2012

A Paz, o Pão, Habitação, Saúde, Educação - Ética, República, Liberdade...


"Ò hipócritas liberais! (...) Porque os lacaios «democratas» da burguesia moderna acham «normal» e «moral» que o povo deva sofrer complacente toda a espécie de indignidades, ultrajes e atrocidades às mãos dos aventureiros coroados..."


5 de Outubro - Viva a República


Alfredo Luis da Costa e Manuel dos Reis Buiça, Libertadores da Pátria Portuguesa;1 de Fevereiro de 1908 - sem a sua acção, talvez a República não tivesse passado de uma miragem, por isso aqui aparecem os seus nomes, associados ao aniversário da sua implantação.

03/10/2012

Hoje, mais do que nunca - ARTIGO 21.º (Direito de resistência)


"Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública."
ARTIGO 21.º da Constituição da República Portuguesa

Vitor Gaspar, porta-voz da vingança do ministro sombra António Borges

O Vitor apareceu esta tarde na televisão. A maior parte do tempo fez propaganda. Brincou com números, mostrou uns rabiscos, contou estórias da carochinha com mentiras que só parecem verdades aos mais desatentos e, por fim, lá veio com as tais medidas milagrosas que a Europa já conhecia e Portugal não, coisa normal porque o milagre não será para os portugueses. Os portugueses estão cá para pagar mais impostos, pois então! A diminuição dos escalões do IRS e outras medidas anunciadas, mais não são do que o instrumento para nos fazer pagar a TSU, mas com outra embalagem. O Vitor não o diz, mas de facto está a fazer de nós o que o Borges disse de outros - ignorantes. É urgente começar a preparar-lhe a resposta.

IRS pago pelos portugueses vai subir cerca de 30% em 2013

Os Trabalhadores já pagam 75% do total de todos os impostos