22/05/2012

"Detido por furtar bacalhau no Pingo Doce"

O título do post é da notícia publicada pelo DN Portugal que pode ler aqui, referente ao furto que um "terrível meliante de 37 anos de idade" supostamente fez no Pingo Doce de Famalicão. É lógico que a prisão é o castigo que merece pelo valor do roubo - 13,98 euros -, e por não se respeitar a si próprio ao exibir tamanha incompetência. O meliante em questão é a vergonha de todos os honestos ladrões nacionais, por se deixar apanhar por um simples segurança de serviço com um produto tão vulgar como o bacalhau - em vez de se fazer deter por importantes inspectores da Judiciária, por furtar no mínimo umas embalagens de ostras e caviar -, e, porque no exercício do acto praticado não teve em conta a ética e os valores inerentes à profissão, por exemplo: não roubar umas míseras dezenas de euros mas desviar milhões, não furtar mas praticar fraude fiscal de elevado valor, corrupção ou tráfico de influências. É também incompreensível como é que um poderoso serralheiro ambiciona entrar num clube tão altruísta como o dos comuns humanos ao serviço da coisa pública, como pobres ministros, autarcas ou dirigentes de partidos do poder, banqueiros e gestores, tudo gente que vive com imensas dificuldades como é do conhecimento público. Que pague então pelo crime praticado e, se depois enveredar pelo caminho iniciado neste supermercado, que peça pelo menos alguns conselhos aos ilustres do PSD que se vêem na imagem acima do texto, pois podem vir a ser-lhe úteis para ser respeitado pelo sistema judicial e judiciário, evitar as prisões que se inventaram para a ralé, e até pode vir a ser eleito por conscientes rebanhos de humanoides, em sua - deles e própria - representação política.