31/01/2012

A Alemanha que pague o que deve...

"Segundo cálculos divulgados pelo jornal económico francês “Les Echos”, a Alemanha deverá à Grécia em resultado de obrigações decorrentes da brutal ocupação do país na II Guerra Mundial 575 mil milhões de euros a valores actuais (a dívida grega aos “mercados”, entre os quais avultam gestoras de activos, fundos soberanos, banco central e bancos comerciais alemães, é de 350 mil milhões)." Ler aqui.

E a dívida alemã?  por Manuel António Pina, aqui.


30/01/2012

O complexo alemão - dominar a Europa...



Ontem com panzers e campos de extermínio, hoje com a máquina de extermínio financeiro, o objectivo é o mesmo: a dominação da Europa. Que pensarão os agentes submissos, germanófilos, do governo troikista de Passos Coelho? Hoje, a Grécia é o alvo. Dentro de um ano veremos...

01/01/2012

Mensagem de Ano Novo do Presidente da República?

http://www.presidencia.pt/?idc=22&idi=60565
Sou português, e não aceito nem admito que nenhum beneficiário dos negócios  do BPN me represente, mesmo sendo presidente duma espécie de "republicazinha das bananas"  que se diz  portuguesa. Não, também não lhe agradeço nem retribuo os votos de Ano Novo com a felicidade e as "propriedades" do costume. Sou português, não vivi acima das minhas possibilidades e nenhum especialista em moralismos maniqueístas, mesmo sendo presidente de qualquer coisa que se assemelhe remotamente a uma República, me vai convencer de que sou culpado da boa vida que uma elite de crápulas e criminosos fabricaram para si próprios, fabricando crises que a maioria terá de pagar. Sou português e, como tal, a única obrigação que me atribuo enquanto membro do colectivo social  nacional de que faço parte é, em total respeito pelos princípios próprios de uma democracia plena e de verdade, tudo fazer de acordo com as minhas possibilidades e capacidades, para libertar o país do sequestro ilegitimo em que se encontra por obra dos responsáveis políticos que detêm o poder. Sou português e, como milhões de portugueses, digo não às políticas de austeridade que nos agarrotam e enriquecem os mesmos de sempre...
  

Da flor de Janeiro...


...ninguém enche o celeiro.
Em vindo Janeiro,
Sobe ao outeiro
Se vires terrear
Põe-te a cantar!
Se vires verdegar
Põe-te a chorar!         (Adagiário Popular)