31/05/2011

Lugar à Música - Maio, maduro Maio...

No Porto, autarquia continua a "saga" destruidora - Mercado do Bom Sucesso

PSD e CDS/PP até gostam dos mercados, mas é dos financeiros...
http://www.jn.pt/multimedia/video.aspx?content_id=1861415

24/05/2011

Então?


Depois de 37 anos de Abril, é disto que os portugueses gostam? Mas qual é o prazer de comer sempre a mesma merda, ou atolar-se constantemente nela? Povo - se povo houvesse - de mansos escravos, para não dizer coisas piores... 

18/05/2011

Merkel quê?

Mas quem é esta espécie de Adolfo de saias, para "mandar palpites" sobre os portugueses, gregos ou espanhóis? Quem é que em Portugal, Grécia ou Espanha votou nesta "ariana", para se achar no direito de decidir sobre a vida dos seus povos? Se Hitler caiu, esta cópia actual do crápula arrogante e sanguinário em formato euro, cairá também. Se o original não subjugou  a Europa com a sua criminosa máquina de guerra, a cópia que nos domina hoje, não nos subjugará eternamente com a sua criminosa máquina financeira...

16/05/2011

Foto do dia...


Ver as algemas "nas mãos certas" - mesmo que seja só de vez em quando -, é sempre um momento de "reconciliação com o mundo", por muito que doa aos poderosos e aos seus lacaios...

Outros olhares, outras formas de ver - Sebastião Salgado

"Retratos de realidades... Homenagem a Sebastião Salgado sim, pela sua mestria; a Samuel Barber sim, pela sua criação única, mas sobretudo homenagem e tributo a todos este trabalhadores e povos que ganharam voz através destas fotos.
Pelo fim da exploração do homem pelo homem, pelo fim da desigualdade social!"

Música: Adagio for Strings, by Samuel Barber
Fotos: Sebastião Salgado (Trabalhadores; Terra; Serra Pelada; Êxodo; Retratos de Crianças do Êxodo,...)

Reler Saramago - Repensar o Mundo, 4


"A minha posição é a de constante interrogação."
José Saramago

13/05/2011

É já no Domingo, às 16 horas...


No Porto, Braga, Coimbra, Lisboa e Faro. Para que um dia, o 12 de  Março faça parte das memórias de que te orgulhas. Para que tenha sentido, dá-lhes onde mais lhes dói - na rua, com a tua participação. 

Manuel António Pina - Prémio Camões 2011*



Aos Filhos
Já nada nos pertence,  
nem a nossa miséria.  
O que vos deixaremos 
a vós o roubaremos.  

Toda a vida estivemos 
sentados sobre a morte,  
sobre a nossa própria morte!  
Agora como morreremos?  

Estes são tempos de 
que não ficará memória,  
alguma glória teríamos 
fôssemos ao menos infames.  

Comprámos e não pagámos,  
faltámos a encontros:  
nem sequer quando errámos 
fizemos grande coisa!  

Manuel António Pina, in "Um Sítio onde Pousar a Cabeça"

Algumas Coisas
A morte e a vida morrem 
e sob a sua eternidade fica 
só a memória do esquecimento de tudo; 
também o silêncio de aquele que fala se calará. 

Quem fala de estas 
coisas e de falar de elas 
foge para o puro esquecimento 
fora da cabeça e de si. 

O que existe falta 
sob a eternidade; 
saber é esquecer, e 
esta é a sabedoria e o esquecimento. 

Manuel António Pina, in "Aquele que Quer Morrer"

* Este "post" só é visível hoje, porque o serviço "Blogger" não funcionou ontem. No entanto, são tão poucas as boas notícias nos tempos que correm, que qualquer momento é ideal para senti-las. Parabéns ao Manuel António Pina, por nos brindar a possibilidade de verificarmos que ainda há coisas boas cá pelo rectângulo à beira mar plantado. Apesar de ninguém matar a fome comendo palavras, a verdade é que são elas que nos alimentam a dignidade possível, nem que seja a de nos reconhecermos através duma língua, duma cultura, duma literatura bem tratada. 

Escola da Fontinha - história de mais um atropelo de Rui Rio à Democracia



Não basta ser economista para se ser bem formado - Rui Rio é, pelo menos culturalmente, um perfeito analfabeto. Não bastam os votos que o elegem para fazer dele um exemplo de democrata - a experiência da Escola da Fontinha, é só mais um exemplo do profundo desprezo que este personagem tem pelo trabalho daqueles que dedicam o seu tempo a praticar a democracia através da arte e da cultura. Poderíamos recordar o caso Rivoli, o caso do Festival de Teatro Fazer a Festa, e tantos outros exemplos da prepotência desta espécie de Rei Ubu provinciano, que a invicta cidade do Porto terá que suportar ainda por mais algum tempo. Mas, resta-nos a consolação de sabermos que a cidade, um dia recuperará a sua dignidade, enquanto  as personagens de guinhol de má qualidade

10/05/2011

Festival Eurovisão da Canção: uma das marcas da decadência europeia.


Decadência-mau gosto-vulgaridade-qualidade duvidosa... Os Homens da Luta cumpriram o seu papel e, sinceramente, não merecem andar no meio desse ruído estéril. Vivam os homens da luta, a luta continua, Europa para a rua.

09/05/2011

O renascimento do espírito da "Mocidade Portuguesa"?...

Lá vamos, cantando e rindo,
pelo líder, sempre a andar, 
bem vestidos, penteadinhos,
aprumados a cantar,
Lá vamos, cantando e rindo,
ninguém nos fará parar,
sabemos, o que queremos, 
Pelo "tachinho" marchar,
lá-lá-lá, lá-lá, lá-lá,
lá-lá-lá, lá-lá, lá, lá
..................

Colunista do "Financial Times" faz o "elogio" de Sócrates, que os portugueses merecem...

Colunista do FT: "Não se pode gerir uma união monetária com governantes como Sócrates"

http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=483433

07/05/2011

Terrorismo de Estado: Portugal,Espanha - cumplicidades "subterrâneas"?

 
...Detido na prisão de Lisboa na lista negra da ETA...

PORQUE NO TEU PAÍS... *


Porque no teu País
A Educação é como uma licenciatura
Tirada sem mérito e sem trabalho
Arquitectada por amigos docentes
E abençoada numa manhã dominical

Porque no teu País
É mais importante a estatística dos números
Que a competência científica dos alunos
O que interessa é encher as universidades
Nem que seja de burros

Porque no teu País
A corrupção faz parte do jogo
Onde os jogadores e os árbitros
São carne do mesmo osso
E partilham o mesmo tempero

Porque no teu País
A justiça é ela própria uma injustiça
Porque serve quem é rico e influente
Com leis democraticamente pobres

Porque no teu País
As prisões não são para os ladrões ricos
Porque os ricos não são ladrões
Já que um desvio é diferente de um roubo

Porque no teu País
A Saúde é uma doença crónica
Onde, quem pouco tem
É sempre colocado na coluna da despesa

Porque no teu País
Se paga a quem nada faz
E se taxa a quem pouco aufere

Porque no teu País
A incompetência política é definida como coragem patriótica

Porque no teu País
Um submarino é mais importante que tu
E o mar apenas serve para tomar banho
E pescar sardinhas

Porque no teu País
Um autarca condenado à prisão pela justiça
Pode continuar em funções em liberdade
Passeando
e assobiando de mãos nos bolsos


Porque no teu País
Os manuais escolares são pagos
Enquanto a frota automóvel dos políticos
É topo de gama

Porque no teu País
Há reformas de duzentos euros
E acumulação de reformas de milhares deles

Porque no teu País
A universidade pública deixou cair a exigência
E as licenciaturas na privada
Tiram-se ao ritmo das chorudas mensalidades

Porque no teu País
Os governantes, na sua esmagadora maioria
Apenas possuem experiência partidária
Que os conduz pelas veredas do "sim ao chefe"

Porque no teu País
O que é falso, dito como verdade,
Sob Palavra de Honra !
São votos ganhos numa eleição

Porque no teu País
As falências são uma normalidade
O desemprego é galopante
A criminalidade assusta
O limiar da pobreza é gritante
E a venda de Porsches ... aumenta

Porque no teu País
Há esquadras da polícia em tal estado
Que os agentes se servem da casa de banho
Dos cafés mais próximos

Porque no teu País
Se oferecem computadores nas escolas
Apenas para compor as estatísticas
Do saber "faz de conta" em banda larga

Porque no teu País
Se os teus pais não forem ricos
Por mais que faças e labutes
Pouco vales sem um cartão partidário

Porque no teu País
Os governantes não taxam os bancos
Porque, quando saírem do governo
Serão eles que os empregam

Porque no teu País
És apenas mais um número
Onde o Primeiro-Ministro se chama Alice
Que vive no País das Maravilhas
Mesmo ao lado do teu.

Foge ! E não olhes para trás!

*Chegou via e-mail, desconheço o autor mas sei que se trata de um jovem português emigrado.

06/05/2011

Lugar à Música - 12

As coisas de Cavaco...

"Este não é o fim mas o início de um longo processo"

"Não podemos continuar a viver acima das nossas possibilidades", diz Cavaco. A quem se refere este senhor? A ele? Aos seus ex-ministros-banqueiros-conselheiros de estado-ministros em geral-gestores de empresas públicas-privadas-autarcas (alguns) -generais-gente mais ou menos séria-de gravata-colarinhos brancos-economistas  (muitos)-comentadores  (tantos) -politólogos-idiotólogos-etc. etc. etc.?

Só lhe fica bem...

Ministra da Cultura vai desfilar como mordoma nas festas d'Agonia
A ministra das tradições  vai ser a mordoma da cultura vestida de virgem, quer dizer mordoma das festas d`Agonia, de Viana do Castelo. Especialistas em questões folclóricas reconhecem que este gesto da ministra só lhe fica bem, sugerindo ainda que se faça mordoma d`Agonia nacional, visto pertencer a um governo que fez de Portugal um país agonizante.

05/05/2011

... no momento em que PS/PSD/CDS venderam o país à troyca internacional FMI/BCE/CE


UM POVO IMBECILIZADO E RESIGNADO...

"Um povo imbecilizado e resignado,
humilde e macambúzio,
fatalista e sonâmbulo,
burro de carga,
besta de nora,
aguentando pauladas,
sacos de vergonhas,
feixes de misérias,
sem uma rebelião,
um mostrar de dentes,
a energia dum coice,
pois que nem já com as orelhas
é capaz de sacudir as moscas;
um povo em catalepsia ambulante,
não se lembrando nem donde vem,
nem onde está,
nem para onde vai;
um povo, enfim,
que eu adoro,
porque sofre e é bom,
e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso
da alma nacional,
reflexo de astro em silêncio escuro
de lagoa morta (...) Uma burguesia,
cívica e politicamente corrupta ate à medula, não descriminando já o bem do mal,
sem palavras,
sem vergonha,
sem carácter,
havendo homens
que, honrados (?) na vida íntima,
descambam na vida pública
em pantomineiros e sevandijas,
capazes de toda a veniaga e toda a infâmia,
da mentira à falsificação,
da violência ao roubo,
donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral,
escândalos monstruosos,
absolutamente inverosímeis no Limoeiro (...) Um poder legislativo,
esfregão de cozinha do executivo;
este criado de quarto do moderador;
e este, finalmente, tornado absoluto
pela abdicação unânime do país,
e exercido ao acaso da herança,
pelo primeiro que sai dum ventre
- como da roda duma lotaria.
A justiça ao arbítrio da Política,
torcendo-lhe a vara
ao ponto de fazer dela saca-rolhas; Dois partidos (...),
sem ideias,
sem planos,
sem convicções,
incapazes (...)
vivendo ambos do mesmo utilitarismo
céptico e pervertido, análogos nas palavras,
idênticos nos actos,
iguais um ao outro
como duas metades do mesmo zero,
e não se amalgamando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento,
de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar (...)"

Guerra Junqueiro, in "Pátria", escrito em 1896

Que "prestigiante" Nobel da Paz...


Afinal qual é a diferença entre Bush e Obama? Se o primeiro é responsável de crimes contra a Humanidade  - que o chamado Tribunal Penal Internacional (caso fosse para levar a sério) já tarda em julgar -, o segundo considera "Fazer Justiça" o assassinato dos (supostos) inimigos com métodos dignos dos KU-KLUX-KLAN (KKK), isto é: um tiro na nuca do elemento a suprimir, mesmo que desarmado, - aqui a diferença da cor é só aparente, pois tanto a KKK como Obama representam a "supremacia branca", quer dizer: o poder do norte sobre o Sul, os ricos poderosos e prepotentes sobre o SUL espoliado e agredido. Afinal o que significam palavras como Democracia, Justiça e Direitos Humanos, quando proferidas pelas bocas dos inquilinos da Casa Branca? Para aqueles que ainda  tenham dúvidas, que conste: a Oeste, nada de novo, e não parece que o indivíduo pense em devolver a medalha...


03/05/2011

Reler Saramago - Repensar o Mundo, 3


" Temos de continuar a manifestarmo-nos. Não há outra solução senão dizer que não queremos viver num mundo como este, com guerras, com desigualdade, com injustiça, com a humilhação diária de milhões de pessoas que não têm qualquer esperança de que a vida valha alguma coisa. Temos de exprimir isso com veemência e passar dias nas ruas se assim tiver de ser, até que os que estão no poder reconheçam que o povo não está satisfeito."

José Saramago a The Observer, Londres, 30 de Abril de 2006 (reportagem de Stephanie Merritt)

Sócrates começou a campanha eleitoral...

Sócrates aproveitou o intervalo do jogo da liga dos campeões europeus entre o Barcelona e o Real Madrid,  "horário nobre" em que milhões de portugueses "ofuscam" a mente em frente às televisões, para começar a campanha eleitoral com vista ás eleições de 5 de Junho neste "protectorado europeu" de nome Portugal. Tendo em conta os acontecimentos políticos das últimas três décadas , e sem esquecer que uma grande parte da população do dito protectorado sofre de "amnésia crónica", é bem possível que tenha dado o primeiro passo para "reconquistar" o poder. Não precisaremos de muito tempo para verificar a tendência natural do primeiro ministro para "reencarnar" a personagem de Pinóquio, assim como a vocação lamechas de um povo em vias de extinção, que teima em ser coerente só nas suas próprias misérias...

02/05/2011

Liberdade de Expressão, SIM! Branqueamento dos crimes da PIDE, NÃO!




«Dia 3 de Maio, pelas 9h15, um julgamento que nos remete para os tempos da ditadura…

Margarida Fonseca Santos (autora), Carlos Fragateiro e José Manuel Castanheira (ex-directores do Nacional D. Maria II) – somos acusados, pelos sobrinhos de Silva Pais, dos crimes de difamação e ofensa à memória de pessoa falecida. No seu entender, denegrimos a imagem do último director da PIDE com a adaptação para teatro do livro A Filha Rebelde (de José Pedro Castanheira e Valdemar Cruz), feita para o TNDM em 2007, com encenação de Helena Pimenta.

O Ministério Público não acompanhou a queixa.

Conquistámos, no 25 de Abril, a liberdade de expressão, que está agora posta em causa. Mas, mais grave ainda, esta é uma tentativa de branquear a imagem daquele que foi o responsável máximo da PIDE – a polícia política que perseguiu, torturou e matou muitos opositores ao regime, entre eles o General Humberto Delgado.

Pedimos que divulguem isto aos quatro ventos.» (Margarida Fonseca Santos)

Chamar os bois pelos nomes: Terrorismo de Estado Norte Americano liquida Terrorista líder da Al-Qaeda

01/05/2011

VIVA O 1º DE MAIO

... ... ... ...
À quente romaria do futuro
Não vão homens obesos e cansados.
Vão rapazes alegres.
Moças bonitas,
Trovadores,
E também os eternos desgraçados,
Revoltados
E sonhadores.            (Miguel Torga)