28/02/2011

A palavra que não ousamos pronunciar por trás da revolta árabe - John Pilger

Logo após a invasão do Iraque em 2003 entrevistei Ray McGovern, um dos membros de um grupo de elite de responsáveis da CIA que preparavam o resumo diário de inteligência do presidente. McGovern estava no cume do monolito da "segurança nacional" que é o poder americano e havia-se aposentado com aplausos presidenciais. Na véspera da invasão, ele e 45 outros responsáveis sénior da CIA e de outras agências de inteligência escreveram ao presidente George W. Bush que os "tambores da guerra" não eram baseados em inteligência e sim em mentiras.

"Era farsa em 95 por cento", disse-me McGovern.

"Como é que eles conseguiram escapar sem punição?"

"A imprensa permitiu aos loucos escaparem sem punição".

"Quem são os loucos?"

"As pessoas que dirigem a administração [Bush] têm um conjunto de crenças, um bocado como aquelas expressas no Mein Kampf... elas eram mencionadas nos círculos em que me movia, no topo, como 'os loucos'."

Disse eu: "Norman Mailer disse acreditar que a América entrou num estado pré-fascista. Qual é a sua visão disso?"

"Bem... espero que ele esteja certo, porque há outros a dizerem que nós já estamos num modo fascista".

Em 22 de Janeiro, Ray McGovern enviou-me um email exprimindo o seu desgosto com o bárbaro tratamento da administração Obama para com o alegado denunciante Bradley Manning e a sua perseguição do fundador da WikiLeaks, Julian Assange. "Muito tempo atrás George e Tony decidiram que podia ser divertido atacar o Iraque", escreveu, "Eu disse com efeito que o fascismo já havia principiado aqui. Tenho de admitir que não pensei que isto ficaria tão mau assim rapidamente".



É já amanhã...

27/02/2011

"Face Oculta" - um caso como outros?

Escutas que envolvem Sócrates têm de ser destruídas, diz presidente do Supremo
Uma imagem e duas questões: 
1ª - Em Portugal, há de facto "independência do Poder Judicial" em relação  ao Poder Executivo? 
2ª - Na realidade, será Portugal um Estado de Direito?
  

Lugar à Música - 8

Portugal - Estado de Direito, ou dos direitos de alguns?

A ambulância foi obrigada a retirar-se para dar passagem à viatura ministerial
Há uns dias, um senhor que foi Secretário de Estado, Ministro, administrador de instituições bancárias e outras coisas, entre as quais destaca o seu envolvimento no caso "Face Oculta", entrou pelo consultório de um Centro de Saúde à procura de um atestado médico, ultrapassando todos os que esperavam a sua vez para  consulta, devido ao facto de ter que apanhar um avião com uma certa urgência, sabe-se lá motivado por que terrível doença. Talvez um dia se venha a saber que terríveis males apoquentam o Dr (?) Armando Vara, que justifiquem este atropelo aos mais elementares direitos dos seus concidadãos. 

Mais recentemente - na passada Quinta Feira -, enquanto os Técnicos do INEM assistiam uma idosa com suspeita de estar a sofrer um enfarte, um elemento da PSP da segurança do Ministro Alberto Martins, ordenou a retirada da ambulância que assistia  a vítima, para que pudesse passar a viatura que ia buscar o Ministro a casa. Ora, sendo certo que uma ambulância em serviço de urgência é a garantia do socorro que as vítimas necessitam, que facto extraordinário levou a que a PSP invocasse que "os agentes podem retirar uma ambulância de um local por motivos de força maior"? Não será mais importante a saúde e segurança das pessoas, do que o excesso de zelo e abuso de autoridade da polícia, só para ficar bem aos olhos do amo?

Veremos, se algum o dia, o ministro desta espécie de democracia diz alguma coisa sobre o assunto. 






26/02/2011

Universidade "Estado Mínimo, Crise Máxima" - Emissão em Directo



UNIVERSIDADE DE PRIMAVERA DO FÓRUM MANIFESTO
Estado Mínimo, Crise Máxima
25 a 27 de Fevereiro, Ovar

PROGRAMA
25 de Fevereiro, Sexta 21H
Conferência de abertura: ‘Estado e Sociedade’
Luís Fazenda e José Manuel Pureza
26 de Fevereiro, Sábado
10h – 12h30
Sessão de trabalho – Serviço Nacional de Saúde
Aula: Pedro Ferreira – Professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
Mesa Redonda: com João Semedo
14h30 – 17h30 Sessão de trabalho – Educação
Aula: Manuel Sarmento – Universidade do Minho
Mesa Redonda: com Ana Drago e Maria José Araújo
18h
Mesa redonda ‘A nova esquerda e os novos na esquerda’
Com Hugo Ferreira, Gonçalo Monteiro, Pedro Feijó e José Miranda
Moderação de Daniel Oliveira
21h
Sessão de trabalho – Cultura
Com Catarina Martins
27 de Fevereiro, Domingo
10h – 12h30
Sessão de trabalho Segurança Social
Aula: Carvalho da Silva – Secretário-Geral da CGTP

WikiLeaks Portugal - mais vale tarde do que nunca...

Os brinquedos caros do Paulo Portas.
O país dos generais sentados.
O exército com mais generais e almirantes por soldado.
O ministro que fala demais quando não deve, e que não comenta aquilo a que chama documentos confidenciais, porque ainda não percebeu que já são do conhecimento público.

23/02/2011

Diz que é uma espécie de diplomata...

A imagem acima tem a legenda que lhe corresponde, mas poderia ter outras. Por exemplo: "encontro de amigos", ou tendo em conta a quantidade de copos sobre a mesa "os camelos também bebem água", ou então, como "provavelmente" diria o Primeiro Ministro cá do burgo, "retrato histórico de um carismático líder árabe e uma espécie de diplomata português". Todas elas e muitas outras ficariam bem neste cenário mas, 40º aniversário da "Revolução do Grande al-Fateh" inscreve a imagem num contexto histórico determinado, de um simbolismo concreto e, por conseguinte, diz-nos mais das personagens representadas do que muitas palavras, protegendo-nos ainda de possíveis amnésias futuras... Mais ou menos cinco meses passados desde o disparo do flash, a memória já começou  a falhar ao Ministro Amado de Sócrates. Fica a fotografia para um dia recordar. 

Tanta calvície intelectual que até "roça" a imbecilidade...

Onde se ouve "eu também sou um trabalhador precário" deve interpretar-se "eu também fui um Boy bem pago" (?)

21/02/2011

A Linha do Tua - 2

A resignação é a morte lenta de Trás-os-Montes, e o poder sabe isso. Décadas de enganos, de esquecimento, de roubo e autêntica destruição de toda uma região, só é possível com a cumplicidade de muitos dos seus naturais que, servindo-se da "burla eleitoral", uma vez chegados a Lisboa seja como ministros ou deputados, depressa esquecem as promessas feitas, utilizando o poder conseguido com os votos dos burlados para satisfação de interesses pessoais. Décadas de manutenção do poder com base em autênticas redes de caciquismo, alimentadas pelos próprios espoliados.     

As "boas companhias" de Sócrates

Muammar al-Gaddafi é o homem que em 1969 instalou na Líbia a "Jamahiriya", ou seja: o "Socialismo Árabe". Com "socialistas" destes para que são precisos ditadores?

19/02/2011

A Linha do Tua - 1

Se os transmontanos quiserem, a linha volta. Se continuarem a acreditar em promessas de presidentes, ministros e autarcas que há dezenas de anos os enganam, então não é só a esperança que lhes roubam, mas a própria memória.

12 e 19 de Março vamos para a rua gritar!

"Primeiro, a 12 de Março, por um chamado ecuménico que nasceu nas redes sociais. O segundo, convocado pela CGTP.
Na Rubra juntamos a nossa voz a qualquer um dos protestos, independentemente das diferenças políticas que tenhamos com a diversidade de organizações ou indivíduos que aí apareçam. Num contexto internacional em que as lições da Tunísia e do Egipto voltaram a mostrar que é na rua que se abre o caminho do futuro, é importante que, também em Portugal, esse palco recupere a combatividade de outros tempos.
Desconhecemos as razões que levam os nossos dirigentes sindicais a adiar a convocação de uma nova greve geral, à imagem do que foi acontecendo por todo o movimento dos trabalhadores em todo o mundo, como desconhecemos os motivos pelo qual não existe uma data unitária para dois protestos que parecem ter o mesmo fim. Iremos às duas manifestações juntar a nossa voz para que se derrube o governo nas ruas pois temos claro que só com unidade de acção entre todas as forças políticas que assim o entendam, mesmo entre aquelas com quem se divirja quanto à sua posição ideológica, devem unir esforços para derrubar o governo do PS que mais à direita governou. Mais do que qualquer outro líder socialista, e mais do que muitos da direita musculada, Sócrates é o rosto do desmantelamento do que restava de conquistas sociais de Abril, da precariedade e da carestia a que cada vez mais pessoas estão a ser sujeitas. A sua saída de cena será igualmente uma derrota para as suas políticas e dificultará a sua aplicação a quem quer que entenda continuar o mesmo caminho.
Sabemos igualmente que um novo ciclo eleitoral por si só não envia para o museu de antiguidades as leis que nos atormentam a vida, que nos retiram os direitos ao trabalho ou nos escravizam ao desemprego. O fim da crise social só vem com o fim da crise económica e esta deve ser paga em exclusivo por quem lucrou com ela. Defendemos o não pagamento da dívida externa com a certeza que essa é a única maneira de provocar a crise política necessária à mudança dos paradigmas que suportam o regime. É a única via matemática para que as mais-valias não continuem na mão de uma minoria de privilegiados e que em seu sustento nos coloquem com serviçais. São tempos de mudança!" 

18/02/2011

Sócrates invade o "Reino Maravilhoso" de Miguel Torga

A barragem de Foz Tua terá “um contributo ínfimo para a produção de energia no país”. Foto www.linhadotua.net.
Os bárbaros José Sócrates - primeiro ministro de Lisboa - e António Mexia - homem forte da EDP, empresa que dá lucros a alguns - poucos - com a água de muitos -, lançaram a primeira pedra do projecto que vai afundar a linha do Tua e a vida das pessoas que ainda vivem naquela região de Trás-os-Montes. Esse "Reino Maravilhoso", já com tantas barragens que servem fundamentalmente para encher os bolsos dos accionistas da empresa Electricidade de Portugal, continua a sucumbir lentamente, vítima da voragem dum centralismo arcaico, que só se lembra da sua existência na hora do saqueio. Para o poder, os lucros de Foz Tua são  mais importantes do que um património com mais de120 anos - a linha  ferroviária -, e a envolvente natural milenar de paisagens únicas, com a sua flora e fauna que se perderão para sempre. Mais grave ainda, é que condena todos os que lá vivem a mais interioridade e isolamento, e ao crescimento da desertificação humana  que há largos anos se vem verificando, devido à falta de desenvolvimento. Tanta irracionalidade provoca toda   esta destruição em troca de um contributo mínimo, quase ridículo em termos de produção de energia no contexto nacional, e havendo outras alternativas. A nossa terra ficará mais pobre, mas a EDP ficará mais rica.

17/02/2011

O futuro deles...

foto noticia
Passos Coelho acaba de defender o seu governo - o de Sócrates. Nada mais coerente. Na grande entrevista da RTP, com uma argumentação de "uma no cravo outra na ferradura", o segundo líder do Centrão Radical de Mercado disse que o PSD não votará a moção de censura que o BE apresentará em Março, porque não contribuirá para a abertura duma crise política. Mas que novidade! O futuro deles não é agora? Em suma: a direita - PS, PSD, CDS - continua unida no ataque à soberania nacional, pondo-se de cócoras perante as exigências de Merkel/Sarkosy, e impondo esta nefasta política de austeridade, em que só os ricos têm direito à vida.

13/02/2011

Sobre os precários... - Moção de censura. Porque não?

O país "do faz de conta, virtual, que come bem todos os dias", está suspenso por causa de uma moção de censura - isto segundo os "tablóides" que fazem eco das cretinices de meia dúzia de papagaios, que se repetem diariamente nos vários canais de TV nacionais. Sócrates vocifera contra uns radicais que só existem na sua consciência - talvez pesada -, e logo um rebanho de fazedores de opinião - como se de opinião se tratasse - surgem no ecrã a repetir o ruído do chefe. Aos do costume juntou-se recentemente um filósofo - Carrilho -, para nos ilustrar como a pátria do "centrão radical" também está carente e recessiva na área do "pensamento". Abrem a boca e acusam de irresponsabilidade todos aqueles que ousem pensar e agir desalinhados do pensamento único. Falam de tacticismo e manobra política, como se não fossem eles - o tal "centrão radical de mercado"- que (des) governaram o país nas últimas três décadas, como se não fossem eles que enriqueceram à custa do empobrecimento do povo, como se não fossem eles que hipotecaram a soberania nacional. São muitos e graves os motivos para justificar uma moção de censura neste momento, uma moção de censura que, a ser votada por maioria - coisa que não está para acontecer -, nos libertaria desta trupe radical de centro direita, destes parasitas da vida e da esperança dos mais fracos. Poderíamos agarrar nas 16 pág. (pdf) das bases programáticas do PS com o pomposo título "Avançar Portugal 2009-2013, ou nas 120 pág. (pdf) do "Programa de Governo do Partido Socialista - Avançar Portugal 2009-2013, de 29 de Julho de 2009", para verificarmos a facilidade com que os programas e as promessas destes senhores depressa passam a letra morta, não honrando os mínimos do contrato eleitoral que estabeleceram com os seus votantes. No entanto, por hoje limito-me a exemplificar a razão de ser de qualquer moção de censura, remetendo para as seguintes páginas do diário espanhol "El Mundo", que internacionaliza uma das mais oportunas denúncias sobre os jovens precários de Portugal.

Lugar à Música - 6

12/02/2011

Será a vez da Argélia? - EUA e UE não têm descanso...

Autoridades da Argélia tentam impedir protestos
Depois de Ben Ali e Mubarak, a Europa e os EUA olham com preocupação para a Argélia, onde mais um dos seus fantoches de serviço - Bouteflika -, corre o risco de ser varrido pelos ventos da liberdade. Barack Obama esforça-se para se distanciar dos ditadores corruptos que durante dezenas de anos foram patrocinados por Washington - nada que surpreenda se tivermos em conta a tradicional relação que o império mantém com essa casta, apoiando-os e utilizando-os enquanto são úteis,  deixando-os cair quando se tornam incómodos, ou eliminando-os criminosamente, sem qualquer respeito pelos Direitos Humanos e os princípios  éticos democráticos, de que tanto enchem a boca quando lhes convém. Quem não se lembra de Pinochet no Chile, Manuel Noriega no Panamá ou Saddam Hussein no Iraque, só para citar alguns?  Os EUA estão pouco preocupados com a democracia, enquanto  possam  rapinar os recursos que lhes interessem, passeando-se pelo mundo como se fosse o seu quintal  privado. Quanto à outra parcela do império - a Europa -, embora mais polida nas maneiras, sofre dos mesmos tiques e contradições, próprias de um sistema - o neoliberalismo - voraz, injusto e desumano. A União Europeia - cínica - faz de conta que só agora se apercebeu que o Egipto, a Tunísia, a Argélia etc. eram países governados por crápulas, - não é comovedora a expulsão - tardia - de Hosni Mubarak e Ben Ali da Internacional Socialista? Hipócrita,  diz estar preocupada e solidária com os povos que aspiram a viver livres e em paz,  pronta a ajudá-los nos processos de transição para a democracia... Mas, que podem esperar esses países em luta, duma Merkel ou dum Sarkosy, incapazes de serem solidários com os povos da Grécia, da Irlanda, da Espanha, de Portugal e outros que na periferia da União mal-vivem com as políticas impostas pelo eixo franco-alemão? Mais desemprego? Mais injustiça? Mais restrições nas leis de emigração? O caminho não é fácil, mas depois das revoluções tunisina e egípcia, o mundo começa a respirar alguma esperança. Agora, será  a vez da Argélia? 

08/02/2011

Imaginação e Arte como arma contra o capitalismo - Rumba Rave "Banqueiro"

Júlio Verne - 8 de Fevereiro de 1828

Júlio Verne
 On va aller à la Lune, on ira aux planètes, on ira aux étoiles, comme on va aujourd'hui de Liverpool à New York.
"Um dia visitaremos a Lua e os planetas com a mesma facilidade com que hoje se vai de Liverpool a Nova York."

tout ce qu'un homme est capable d'imaginer, d'autres hommes sont capables de le réaliser.
"Tudo o que um homem pode imaginar, outros homens poderão realizar."

06/02/2011

"Mais Sociedade, Portugal faz-se consigo"- um pouco mais do mesmo...

A iniciativa pretende contribuir para um eventual Governo liderado por Passos Coelho
A rapaziada do PSD está com pressa. Vai daí, lançam-se ao ataque, desta vez com um slogan mais de campanha eleitoral do que de outra coisa qualquer. Esta espécie de "Forum Novas Fronteiras"- organização dos seus comparsas de (des) governação do país, PS -, mais não é do que a rampa de lançamento para a ocupação dos cargos de relevo, por aqueles que continuarão a viver muito bem, fazendo com que a generalidade da população viva muito mal, no momento em que recebam o testemunho dos que agora ocupam os "tachos". Mais do mesmo. Que podem trazer de novo estas personagens no que ao "Pensamento" se refere? Que novas práticas de governação podem oferecer? Em que é que são diferentes de outros que, nos últimos trinta anos se serviram muito bem do país, em contraste com o mal que o país foi servido? Em Março, nessa "menos" sociedade do Portugal que se faz com "eles", Passos não tirará um "Coelho" da cartola, mas terá um barrete pronto para te enfiar, se tu deixares.

George W. Bush - um criminoso à solta...

Procura-se democracia, de preferência europeia - visto terem muita prática em casos desta natureza -, capaz de levar a Tribunal para ser julgado o ex-presidente dos EUA - George W. Bush, por crimes contra a Humanidade e prática de tortura. Ver mais em http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=1777106 .

Lugar à Música - 4

04/02/2011

Exercício de Memória - lembrar para não repetir

Sobre a guerra colonial portuguesa...
No dia 4 de Fevereiro de 1961, teve início a luta de libertação de Angola.

“O mundo árabe está em chamas” - por Noam Chomsky

"O mundo árabe está em chamas", informou a Al Jazira em 27 de Janeiro, ao mesmo tempo que, em toda a região, os aliados ocidentais "estão a perder rapidamente a sua influência."
A onda de choque foi desencadeada pela dramática insurreição na Tunísia, que expulsou um ditador apoiado pelo Ocidente, com repercussões principalmente no Egipto, onde os manifestantes superaram a brutal polícia do ditador. Ler mais aqui e aqui.



Almeida Garrett - nasceu em 4 de Fevereiro de 1799, no Porto

Escritor, dramaturgo, político e grande impulsionador do teatro em Portugal. O Teatro Nacional Dª Maria II, a criação do Conservatório de Arte Dramática, as páginas de Viagens na Minha Terra  e de Frei Luís de Sousa entre outras, são só algumas das obras memoráveis que legou ao país. Em suma, um português a recordar.http://pt.wikipedia.org/wiki/Almeida_Garrett#Presen.C3.A7a_nas_lutas_liberais

02/02/2011

Por que temer o espírito revolucionário árabe?

Slavoj Zizek


Outras vozes

Quarta, 02 Fevereiro 2011 01:00
Slavoj Zizek
A reação ocidental aos levantes no Egito e na Tunísia frequentemente demonstra hipocrisia e cinismo.
O que não pode deixar de saltar aos olhos nas revoltas Tunísia e Egito é a notável ausência do fundamentalismo islâmico. Na melhor tradição democrática secular, as pessoas simplesmente se revoltaram contra um regime opressivo, sua corrupção e pobreza, e demandaram liberdade e esperança econômica. A sabedoria cínica dos liberais ocidentais - de acordo com os quais, nos países árabes, o genuíno senso democrático é limitado a estreitas elites liberais enquanto que a vasta maioria só pode ser mobilizada através do fundamentalismo religioso ou do nacionalismo - se provou errada. 

01/02/2011

Não faço parte dos 23% (+ ou -) que votaram nele...

Cavaco reconhece que pagou sisa depois de notificado
... e sinto-me muito bem por isso. Claro que nesse número de eleitores há de tudo: gente que acreditou verdadeiramente no então candidato, e outros que nem por isso e foram movidos por outros interesses. Seja como for, este não é o presidente que um país com respeito por si próprio merece, logo não é o meu presidente, porque o meu país, mesmo que tenha de coexistir com essa "maioria" de 23%, tem muito orgulho de ser minoritariamente maior.